Carregando

A caminho do banheiro


11 de março de 2019

Por Kátia Moro

Chegado o segundo semestre! Crianças muito adaptadas à escola; o frio já deu uma trégua; a maioria dos pequenos já não precisa de tampa nos copos pois não derramam mais o suco no uniforme; muitas palavras já podem ser ouvidas com fluência nas salinhas de infantil 2 e 3; e olhando assim, parece até que cresceram tudo o que tinham para crescer em menos de um ano letivo. Diante deste cenário mirim tão evoluído, as mães começam a se preparar para um período um pouco nebuloso nessa fase: o desfralde.

Este texto traz o assunto para ser refletido com atenção e para que as mães entendam que não há uma receita e nem um momento exato para desvendar os mistérios que envolvem o banheiro, o xixi e o cocô. Este é um período que demanda tempo e atenção por parte do adulto pois para iniciar o desfralde é importante que a criança já tenha demonstrado alguns sinais, pois é a criança que precisa sinalizar que está na hora do desfralde e não o adulto.

Alguns sinais que as famílias podem considerar importantes para iniciar a caminhada ao banheiro podem ser: 1) A criança se sente incomodada com a fralda e fica puxando ou tentando tirar. 2) Dorme e acorda com a fralda seca por vários dias seguidos. 3) Todas as vezes que faz xixi ou cocô chora e pede para ser trocada demonstrando desconforto.

A partir do momento que a família resolve preparar as cuecas e calcinhas aparecem os pitacos de toda natureza mas o importante é saber que cada criança reage de maneira singular nesta fase. Vale encarar os pitacos como dicas e não como regras. Vejamos alguns pitacos que aparecem com frequência: “Quando a criança consegue pular com os dois pés já pode sair das fraldas”. “Só pode iniciar o desfralde se a criança já estiver falando.” “Se está difícil o desfralde é porque a criança desenvolveu trauma do vaso sanitário.” “Meninas saem das fraldas mais cedo.”

O ideal é que os pais tentem interpretar as dicas de forma lógica, por exemplo: pular com os dois pés representa que a criança já tem bom equilíbrio e, portanto, já consegue controlar estímulos e vontades o que pode estar ligado ao controle esfincteriano. A oralidade facilita qualquer processo e pode também tornar mais fácil o desfralde na medida em que a criança responde se a mãe perguntar: Quer fazer xixi? Os traumas estão associados aos medos ou sustos; então pode ser qua a criança tenha passado por alguma experiência negativa no banheiro o que pode atrasar um pouquinho o processo, mas o penico e os estímulos positivos ajudam a ultrapassar estes pequenos contratempos. Já o fato de os meninos terem mais dificuldade para sair das fraldas é mito comprovado. Outro cuidado que precisamos ter é com o excesso das comemorações no banheiro, pois no momento em que a criança não conseguir fazer o xixi ou o cocô no lugar indicado pode pensar que está desapontando o papai ou a mamãe. O ideal é que as coisas aconteçam naturalmente. Podemos parabenizar a criança sim, afinal ela merece, é uma conquista, mas tudo sem exagero.

Como podemos ver, o caminho ao banheiro possui alguns pequenos obstáculos, e tanto crianças quanto adultos ultrapassam as barreiras aprendendo juntos. Mesmo as mães de segunda ou de terceira viagem (como eu) não conseguem garantir o sucesso já na largada, pois não é uma questão de experiência e não está ligado à idade da criança e sim ao amadurecimento emocional e físico. Esta é uma fase importante na vida da criança, uma fase de ganho de autonomia e de autoconfiança e deve ser ultrapassada sem pressa e sem regras.

 

Kátia Moro é Pedagoga pela Universidade Estadual de Ponta Grossa e Mestre em Educação pela Universidade do Minho (Portugal). É  Coordenadora Pedagógica – Educação Infantil no Colégio SEPAM –Ponta Grossa-PR.

 

Você está pronto para ser calouro?

SEPAM VESTIBULARES

EU ESTOU PRONTO

Notícias

Fique por dentro do Sepam!

Pontagrossense está em Milão entre os pesquisadores do coronavírus

20 de março de 2020

Rafaela é ex-aluna do Colégio Sepam. No período escolar ela participou do projeto Menarca, onde teve seu primeiro contato com a área da saúde

A pontagrossense Rafaela da Rosa...

SAIBA MAIS+

Sepam é ouro no Festival Paranaense de Xadrez

16 de março de 2020

Colégio mantém a tradição de conquistar títulos nesse campeonato

Os enxadristas do Colégio Pontagrossense Sepam conquistaram medalhas de ouro, prata e bronze no Festival Paranaense...

SAIBA MAIS+

Prevenção: Experiência mostra aos alunos como deve ser a lavagem correta das mãos

14 de março de 2020

O Colégio Sepam, preocupado com a saúde dos alunos, está realizando uma série de ações a fim de conscientizar e orientar os jovens sobre formas de prevenir a contaminação pelo...

SAIBA MAIS+
Ver mais notícias

Fale conosco

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro do mundo Sepam